Quinta-feira, 27 de Setembro de 2007

Eu gosto disto


escrito por Pemi às 23:17
link do post | pode pintar á vontade | favorito
Quarta-feira, 26 de Setembro de 2007

porra para os mosquitos

Porra porra e porra !!!!!!!!!!!!!!

O raio dos bichos comem-me toda!

Se ao menos dividissem o apetite pelo resto dos habitantes cá de casa mas não. Gostam é de pernas de gaja!

Bem até que têm bom gosto , que aqui as pernas da je são bem jeitosas, mas dão -me cabo dos nervos , e a comichão.

Vão-se embora ó bicharocos!

Vai-te embora calor de Verão que eu estou farta!!

Coitadinhas das minhas pernocas que andaram todo o verão tapadinhas com calças..

porra !!!! porra !!! porra !!!!

sinto-me:
tags:

escrito por Pemi às 23:27
link do post | pode pintar á vontade | favorito
Terça-feira, 25 de Setembro de 2007

Defeito e feitio

   Por vezes ,leia-se muitas vezes, tenho o péssimo hábito dos juízos precipitados, sou assim, não analiso muito mas normalmente acerto, chamem-lhe intuição ,chamem-lhe o que quiserem, mas lá que acerto acerto.

  Vezes houve em que decidi dar o beneficio da duvida a utilizar aquela máxima : - inocente até prova em contrario - e aí esborrachei-me ao comprido.

 

 

  Desta vez fico-me pela primeira impressão de  - culpado até prova em contrário.

 A ver vamos como corre o ano!

 

sinto-me:
ouvindo: águinha da banheira com o filho mais velho a marinar

escrito por Pemi às 21:28
link do post | pode pintar á vontade | favorito
Domingo, 23 de Setembro de 2007

Paz de espiríto

     O que eu queria hoje era mesmo um lugar assim, sem pessoas, isento de marido, de família de filhos.

    Amo-vos muito mas eu estou precisada de paz, sossego, de baterias novas , de analisar tudo, de fazer uma retrospectiva dos últimos tempos, de limpar a minha alma  e principalmente fazer uma uma visita a mim, quero ter tempo para me ver, para me descobrir, para me pôr em dia.

    Quero saber se a Daniela João ainda por aqui anda, quero ver se o que está aqui são os restos , se são apenas caquinhos apanhados aqui e ali, quero reconstruir-me por dentro e por fora .

    Quero silêncio , daquele muito baixinho, daquele em que nem se ouve o respirar, quero o mar e estar só com ele, quero um lugar como este assim ...

 

sinto-me:

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2007

A Luisa da Calçada

....Hoje disseram que me parecia com a" Luísa ", eu acho que não ó tias,eu subo e desço e subo e desço por gosto , pelos meus filhos vou à Lua e e venho em menos de um clik , e não me canso, por eles vou ao fim do mundo e venho e nem uma gota de suor deito. As tias acham que eu "ando" muito ,não sou mulher de estar parada ,gosto de acção ,efectivamente gosto da acção que os filhos proporcionam, avó acho que as tias nunca perceberam o porquê de vocês terem sido treze, foram tantos desafios avó...

Como te invejo

 

Calçada de Carriche

Luísa sobe,

sobe a calçada,

sobe e não pode

que vai cansada.

Sobe, Luísa,

Luísa, sobe,

sobe que sobe

sobe a calçada.

Saiu de casa

de madrugada;

regressa a casa

é já noite fechada.

Na mão grosseira,

de pele queimada,

leva a lancheira

desengonçada.

Anda, Luísa,

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

 

Luísa é nova,

desenxovalhada,

tem perna gorda,

bem torneada.

Ferve-lhe o sangue

de afogueada;

saltam-lhe os peitos

na caminhada.

Anda, Luísa.

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

 

Passam magalas,

rapaziada,

palpam-lhe as coxas

não d á por nada.

Anda, Luísa,

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

 

Chegou a casa

não disse nada.

Pegou na filha,

deu-lhe a mamada;

bebeu a sopa

numa golada;

lavou a loiça,

varreu a escada;

deu jeito à casa

desarranjada;

coseu a roupa

j á remendada;

despiu-se à pressa,

desinteressada;

caiu na cama

de uma assentada;

chegou o homem,

viu-a deitada;

serviu-se dela,

não deu por nada.

Anda, Luísa.

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

Na manhã débil,

sem alvorada,

salta da cama,

desembestada;

puxa da filha,

d á lhe a mamada;

veste-se à pressa,

desengonçada;

anda, ciranda,

desaustinada;

range o soalho

a cada passada,

salta para a rua,

corre açodada,

galga o passeio,

desce o passeio,

desce a calçada,

chega à oficina

à hora marcada,

puxa que puxa,

larga que larga,

puxa que puxa,

larga que larga,

puxa que puxa,

larga que larga,

puxa que puxa,

larga que larga;

toca a sineta

na hora aprazada,

corre à cantina,

volta à toada,

puxa que puxa,

larga que larga,

puxa que puxa,

larga que larga,

puxa que puxa,

larga que larga.

Regressa a casa

é j á noite fechada.

Luísa arqueja

pela calçada.

Anda, Luísa,

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada,

sobe que sobe,

sobe a calçada,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

Anda, Luísa,

Luísa, sobe,

sobe que sobe,

sobe a calçada.

 

António Gedeão

Poesias Completas (1956-1967)

sinto-me:

Domingo, 16 de Setembro de 2007

SHARP SHARP SHARP

   Linguínhal afiada, é o que tens menina!

  Não é sempre, mas de vez em quando, pimba!   Lá vem ela cheia de farpas, lá vem ela afiadinha da silva, pensamento na ponta da língua e depois zaz !

 E depois ficas danada se dizem:

  - Tá pra chegar a menstruação?

 Aí passas-te , completamente, não vês, não ouves ,  se fosses homem partias para a violência, e mais uma vez a língua afiada faz ZAZ  !

  Todos os meses é assim, agora de à uns tempos para c á o maldito SPM chega para me atazanar o juízo, ao princípio pensei que não estava a ficar bem, pensava que a minha cabeça estava a me pregar alguma partida, mas não é  apenas o mr red a chegar!

  Pensava eu dantes que isto eram tontices, perdoem-me todas as mulheres a quem eu ofendi com este meu pensamento.

 Eu ando a passar-me , todos os meses, uns dias  e depois passa, mas todos os meses temos a mesma conversa , todos os meses a mesma briga , todos os meses a mesma língua afiada...

sinto-me:
ouvindo: Bébé Lili (o mais novo está ao colo)
tags: , ,

escrito por Pemi às 11:07
link do post | pode pintar á vontade | favorito
Sábado, 15 de Setembro de 2007

Unhas pintadas

  Com 36 anos , a caminho dos 37 , com 2 filhos e marido e com as unhas dos pés pintadas olho-me por dentro e vejo a minha mãecom esta idade !

  Dizem que com a idade vamos ficando cada vez mais parecidas com aquelas que nos pariram,no fisíco,na forma de viver , nos maneirismos... e eu olho para mim e vejo a minha mãe!

 E pergunto-me onde é que eu estou?

 No meio de isto tudo e pensando bem , isto começou  a acontecer depois do primeiro filho, dei-por mim a falar com o JP como ela falava comigo e com o N.

 E pergunto-me será isto normal?

 Comecei a pintar as unhas, algo que achava horroroso, pindérico, mas hoje acho que horroroso é sem estar sem o dito verniz escarlate.

 E pergunto-me será desta mulher que o marido gosta?

 É que quando nos conhecemos eu era uma "pita" (lembram-se deste termo?) toda jeitosa que passava os fins de semana no Alcantara Mar, alguém ainda se lembra como aquilo era à 16 anos atrás?

 E pergunto-me , estou a ficar "cota" ?

 Bolas se até já pinto as unhas do pé de vermelho !

sinto-me:
ouvindo: Patience-Guns n'roses

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 12 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.O que ando a escrever

. Ai!

. Depressão

. uma cigarrilha

. o pior de tudo

. o mundo por um cigarro

. Bater asas e voar

. e mais merda

. ...

. Ás vezes

. Há dias em que não vivemo...

.Memórias

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds